As Bibliotecas de Campos do Jordão

Começa hoje uma nova série. Juntos iremos conhecer algumas das dezenas ou centenas de bibliotecas da cidade. Visitaremos bibliotecas oficiais. Veremos o trabalho anônimo e corajoso das bibliotecas escolares. Descobriremos as corajosas iniciativas das bibliotecas comunitárias. Percorreremos os espaços de leitura dos hotéis e pousadas. E visitaremos locais normalmente fechados ao público em geral, as bibliotecas pessoais. O que e onde leem os moradores de Campos do Jordão, famosos ou anônimos? Vamos entrar em contato com pessoas dedicadas à divulgação da leitura em Campos do Jordão, desde as que atuam em empreendimentos com bom suporte até iniciativas humildes, sem recursos, mas todas elas, grandes e pequenas, carregadas de verdade.

Série "As Bibliotecas de Campos do Jordão".

Este primeiro artigo traz um questionamento: o que é uma Biblioteca hoje? Para que ela serve num mundo onde a informação supostamente está ao alcance de todos? Afinal, as pessoas ainda leem? Que perfil uma boa Biblioteca precisa ter hoje?

Veremos que são múltiplas as respostas, pois há situações diferentes que pedem formatações próprias. Mas há um ponto em comum para todas elas. Uma Biblioteca nunca pode deixar de surpreender e encantar e jamais perder a capacidade de abrir a porta para a descoberta. E a forma como isso acontece mudou radicalmente. Não só em Campos do Jordão ou no Brasil, mas no mundo. O questionamento da função de uma biblioteca varre hoje todos os continentes e mesmo nos países mais ricos, crises impensáveis estão acontecendo. Muitas, incapazes de se adaptar, estão fechando e um número cada vez maior delas depende do apoio da coletividade ou de grupos privados. Enquanto isso, aqui e ali outras tantas surgem ou reaparecem repaginadas, ampliadas, monumentais, com projetos arquitetônicos ousados.

Um fato concreto é que, respeitadas as diferenças, hoje uma biblioteca pública não pode mais viver apenas de livros. Eles continuam a desempenhar um papel nuclear, não importa se impressos ou em plataformas digitais. Mas as bibliotecas públicas estão se transformando cada vez mais em espaços de convivência. E em locais de acesso e formação crítica em tecnologia. Há pelo mundo uma enorme variedade de projetos e inúmeros deles estão focados em melhorar a cidadania e aproximar pessoas, famílias, gerações. Como será que as bibliotecas de Campos do Jordão estão respondendo às novas demandas?

Mesmo em meio à instabilidade de valores e padrões, sim, um número enorme de pessoas continua lendo e, por conta disso, o sol da literatura, da poesia e do conhecimento nunca de põe nessas casas de cultura, que como nas mais distantes latitudes, ilumina a todos sem cessar.

Bem-vindos então ao incrível mundo das Bibliotecas. Embarque conosco nessa saudável e saborosa incursão pelas Bibliotecas de Campos do Jordão. Até lá!

Veja todos os artigos da série: Bibliotecas de Campos do Jordão

Carlos abreu é do grupo ABCJ – Amigos da Biblioteca de Campos do Jordão, é membro efetivo da Academia de Letras de Campos do Jordão e vice-presidente da AMECampos
Carlos Abreu é do grupo ABCJ – Amigos da Biblioteca de Campos do Jordão, é membro efetivo da Academia de Letras de Campos do Jordão e vice-presidente da AMECampos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

This post will expire on Friday September 18th, 2015 – 2:11pm.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

COMMENTS

Leave a Comment