Escola de Campos do Jordão receberá o nome de Camargo Freire

Professor e artista, foi quem melhor retratou a paisagem de Campos do jordão

Na foto Camargo Freire em seu ateliê trabalhando em um de seus quadros. Foto: Campos do Jordão Cultura

A Escola Estadual da Vila Albertina em Campos do Jordão passará a se chamar Escola Estadual Professor Expedito Camargo Freire em homenagem ao professor e artista plástico que por anos residiu e lecionou no município.

A proposta partiu do historiador fotográfico Edmundo Ferreira da Rocha e foi apresentada à Prefeitura Municipal através do Secretário de Municipal de Cultura Benilson Toniolo e com intervenções do Arquiteto José Roberto Damas Cintra ao Prefeito Municipal Frederico Guidoni que por sua vez levou a proposta para o governo do estado por se tratar de uma escola estadual. O Governador Alckmin aprovou a ideia e assinou nessa semana o decreto dando nome de Expedito Camargo Freire à Escola localizada na Vila Albertina.

“É uma homenagem merecida que visa perpetuar seu nome na história e na área da educação onde ele fez um trabalho maravilhoso. Felizmente nossa idéia foi apoiada por nosso prefeito e secretário da cultura e governador.” disse Edmundo Ferreira da Rocha.

Sobre Camargo Freire

Vale do Baú, um dos quadros mais lindos pintados por Camargo Freire
Vale do Baú, um dos quadros mais lindos pintados por Camargo Freire.

Expedito Camargo Freire nasceu em Campinas, 9 de junho de 1908, foi um pintor, desenhista e professor vindo a falecer em Campos do Jordão no dia 13 de maio de 1991.

Sentindo vocação para as artes, em 1936 deixa Campinas e dirige-se ao Rio de janeiro, que na época era capital da República, levando uma carta de apresentação do pintor campineiro Salvador Caruso para Ado Malagoli com solicitação de ajuda ao jovem Expedito. Assim, estudou no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro e em seguida participou em companhia de José Pancetti, Bustamante Sá, Silvio Pinto, do próprio Ado Malagoli e outros artistas do “Núcleo Bernardelli”.

Camargo Freire em Campos do Jordão

Segundo a Wikipedia: Em fevereiro de 1941, vítima da tuberculose, foi enviado por seu médico para Campos do Jordão a fim de tratar de sua precária saúde. Aos poucos foi se recuperando e com essa melhora surge a disposição para o trabalho. Fazia caminhadas pelas ruas e estradas da cidade o que lhe ajudava a sentir-se melhor. Numa dessas caminhadas, chegou a um lugar denominado Toriba, onde pouco depois seria construído um confortável hotel para turistas. Entusiasmou-se pela beleza da paisagem e colocou-a na tela. Terminada a obra, enviou-a para o Salão Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro. O quadro foi aceito e Camargo Freire pela primeira vez premiado. Recebeu a medalha de bronze. Isso aconteceu no final do mesmo ano em que chegara em péssimas condições físicas às montanhas de Campos do Jordão. Voltou outras vezes a expor no Salão Nacional, sempre com sucesso, pois, depois da medalha de bronze já citada, medalhas de prata, ouro e os prêmios de viagem ao país (1948) e ao estrangeiro (1956). Em goso dessa última premiação, dirigiu-se a Paris onde completou seus estudos na Académie de la Grande Chaumière.

Como muitos outros, acabou se apaixonando pela beleza da cidade e nela se fixando pelo resto de sua existência. Foi professor de desenho em escolas locais, públicas e particulares. Foi membro da Academia de Letras de Campos do Jordão e do Rotary Club da cidade.

Saiba mais sobre a história de Camargo Freire e veja suas obras no site Campos do Jordão Cultura.

 

 

This post will expire on Wednesday December 9th, 2015 – 9:47pm.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Fundador do Guiacampos.com, apaixonado por Campos do Jordão.

COMMENTS

Comments are closed.