Quem vem à Campos do Jordão, pode aproveitar festival cultural em cidades vizinhas!

Renato Teixeira é um dos destaques no Festival

Quem vem à Campos do Jordão, além de curtir as belezas da estância, ainda pode aproveitar as delicias das lindas cidades da região. O 2º Festival em homenagem a Elpídio dos Santos é um belo exemplo disso! O Evento contempla as vizinhas Santo Antonio do Pinhal e Taubaté, além de as também próximas Cunha e São Luiz do Paraitinga, proporcionando um dia diferente durante a estada do visitante à Suiça Brasileira.

Nos dois últimos finais de semana do mês de março, as quatro cidades na Região de Campos do Jordão (Cunha, Santo Antônio do Pinhal, São Luiz do Paraitinga e Taubaté) serão agitadas pelo 2º Festival em homenagem a Elpídio dos Santos, que terá mais de 40 horas de atividades distribuídas nos dias 24, 25, 31 de março e 1º de abril. Todas gratuitas e apresentando os vários segmentos culturais com os quais Elpídio era comprometido e grande incentivador.

Maracatu, expressão cultural da região
Maracatu, expressão cultural da região será uma das atrações do evento

A primeira edição do festival ocorreu no ano de 2009, em São Luiz do Paraitinga, cidade natal do artista homenageado, e comemorou seu centenário de nascimento. A programação, exclusivamente musical, contou com importantes nomes da MPB como Zé Geraldo, Nô Stopa, Chico Teixeira, entre outros.

“Já tinha proximidade com a obra do artista e com a família quando conheci este festival e fiquei encantada, desde então desejei dar continuidade a esta bela homenagem a um dos principais compositores do Brasil“, relata Ivete Nenflidio, diretora de produção da In Totum, que assumiu o desafio de colocar em pé a segunda edição do Festival.

Elpídio ficou muito conhecido como o principal compositor das trilhas dos filmes de Amacio Mazzaropi, entretanto, sua atuação cultural era muito mais abrangente. Ele era um agitador cultural que transitava em múltiplas linguagens artísticas e seu talento extrapolava a fronteira de São Luiz, como mostra sua obra que tornou-se importante nacional e internacionalmente. Baseada nessa característica multicultural, a segunda edição do festival foi concebida e produzida para mostrar às novas gerações a riqueza do acervo artístico e cultural da região, e sua programação diversificada fomentará tudo que Elpídio defendia e representava.

A segunda edição do Festival conta novamente com a participação emblemática de Renato Teixeira, tão articulador quanto Elpídio, e também envolvido com múltiplas linguagens na esfera cultural brasileira. O cantor e compositor foi convidado a participar novamente por sua importância na cultura regional e também por ser referência quando o assunto é a música do campo e do interior do país. Renato canta o interior de São Paulo, e com belas canções como “Romaria” e “Frete”, divulga essa cultura até nos mais distantes rincões do país.

Segundo Renato, “A obra de Elpídio é como a curva de uma linda estrada; a gente nunca sabe qual a beleza que virá a seguir“. Sua proximidade e admiração pela obra de Elpídio, além de inúmeras gravações, rendeu uma faixa especial no CD “30 anos de Romaria“. Nessa obra Renato gravou a canção “Casinha Branca” e, utilizando um momento muito importante da sua carreira, eternizou uma homenagem a Elpídio com a gravação dessa faixa.

Nesta segunda edição, o Festival sairá das fronteiras municipais de São Luiz do Paraitinga e ganhará proporção regional, desembarcando além da cidade natal de Elpídio, em outras 3 cidades Vale Paraíbanas.

Moreno Overá se apresenta em Santo Antonio do Pinhal, 20 minutos da Campos do Jordão
Moreno Overá se apresenta em Santo Antonio do Pinhal, 20 minutos da Campos do Jordão

Entre os artistas e grupos que participarão dessa edição estão danças folclóricas com os grupos Jongo Crioulo Taubaté e Maracatu Baque do Vale, Benito Campos com a oficina de construção de cabeças gigantes de papel machê, Flavio Itajubá realizará oficinas de construção de instrumentos musicais com material reciclável e Moreno Overá trabalha o folclore regional usando seu talento para “contação“ de causos, além é claro, de muita música com Renato Teixeira, Grupo Paranga, Coletivo Música Taubateana e Chico Teixeira.

“O Vale vai respirar arte, serão mais de 50 artistas, quatro dias de apresentações, mais de 40 horas de atividades, com ações culturais e artes variadas, contribuindo para a preservação da cultura local, formando novos públicos para a música brasileira e, principalmente, disseminando a obra do grande artista Elpídio dos Santos”, finaliza Ivete Nenflidio.

O projeto, idealizado pela In Totum Cultura Criativa, tem apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura e ProAC Editais, a produção artística é da Carretel Arte e Música e a direção musical fica sob o comando de Negão dos Santos, filho de Elpídio, e João Oliveira.

Serviços:
Tributo a Elpídio dos Santos
* O festival será realizado nos dias 24, 25, 31 de março e 01 de abril de 2018.
24/03 – Cunha / SP – Praça da Matriz
25/03 – Santo Antônio do Pinhal / SP – Praça do Artesão
31/03 – São Luiz do Paraitinga / SP – Coreto Elpídio dos Santos
01/04 – Taubaté / SP – Teatro Metrópole – Show de Encerramento do Festival

*Oficinas sujeitas a lotação.
* Este evento foi planejado para receber pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. Procure, por favor, nossa produção caso precise de ajuda ou informação.

Programação Completa:
24/03 – Cunha / SP – Praça da Matriz (Sábado)
09h – Oficina de Cabeça Gigante de papel machê (Tenda Praça da Matriz)
11h – Maracatu Baque do Vale (Praça da Matriz)
14h – Oficina de construção de instrumentos musical com material reciclado (Tenda Praça da Matriz)
15h – Viola, causo e prosa com Moreno Overá (Tenda Praça da Matriz)
17h – Jongo Crioulo Taubaté (Praça da Matriz)
20h – Show do grupo Paranga e Chico Teixeira
21h – Show de Renato Teixeira e Coletivo Musica Taubateana

25/03 – Santo Antônio do Pinhal / SP – Praça do Artesão (Domingo)
09h – Oficina de Cabeça Gigante de papel machê (Tenda Praça do Artesão)
10h – Oficina de construção de instrumentos musical com material reciclado (Tenda Praça do Artesão)
11h – Maracatu Baque do Vale (Praça do Artesão)
14h – Viola, causo e prosa com Moreno Overá (Tenda Praça do Artesão)
15h – Jongo Crioulo Taubaté (Praça do Artesão)
15h30min – Show do grupo Paranga e Chico Teixeira (Praça do Artesão)
16h30min – Show de Renato Teixeira e Coletivo Musica Taubateana (Praça do Artesão)

31/03 – São Luiz do Paraitinga / SP – Coreto Elpídio dos Santos
10h – Oficina de Cabeça Gigante de papel machê (Casa Oswaldo Cruz)
11h – Maracatu Baque do Vale (Concentração no Coreto Elpídio dos Santos)
14h – Oficina de construção de instrumentos musical com material reciclado (Casa Oswaldo Cruz)
15h – Viola, causo e prosa com Moreno Overá (Centro Turistico e Cultural Nelsinho Rodrigues)
17h – Jongo Crioulo Taubaté (Largo das Mercês)
22h – Show do grupo Paranga e Chico Teixeira (Coreto Elpídio dos Santos)
23h – Show de Renato Teixeira e Coletivo Musica Taubateana (Coreto Elpídio dos Santos)

01/04 – Taubaté / SP – Teatro Metrópole – Show de Encerramento do Festival (Domingo)
20h – Shows com Jongo Crioulo Taubaté; Grupo Paranga e Chico Teixeira; Renato Teixeira e Coletivo Musica Taubateana (Teatro Metrópole de Taubaté).

Mais Informações: www.tributoaelpidiodossantos.com

Sobre Elpídio dos Santos

Nascido no Vale do Paraíba, estudou música e escolheu o violão como instrumento que o acompanhou por toda a vida. Além de pesquisador e professor de música foi maestro e compositor de um vasto acervo musical com inúmeros sucessos do cancioneiro popular brasileiro.

Produziu para o cinema e TV, trilhas sonoras, sendo o principal compositor de Amácio Mazzaropi, criando 25 trilhas musicais para os filmes do cineasta. Suas canções foram trilhas sonoras para novelas, como: Cabocla, Rei do Gado, Pantanal e Meu Pé de Laranja Lima.

Embora seja conhecido como compositor de música caipira, sua obra conta com vários gêneros musicais, como o choro, valsa e samba. Trata-se de um compositor genuíno, marcante para a música popular brasileira.

Parceiro de Mario Zan e Anacleto Rosa Junior, foi artista versátil e articulado, incumbido de fomentar a cultura do Vale do Paraíba, compondo com delicadeza canções que se tornaram eternas.
A família de Elpídio também formada por músicos, preserva a memória do artista, dando continuidade ao trabalho de disseminação cultural promovida por Elpídio.
Ainda hoje, após 48 anos de sua morte, sua obra ainda emociona plateias, sendo constantemente regravadas por grandes artistas brasileiros.

Assessoria de Imprensa 

This post will expire on Sunday April 1st, 2018 – 3:48pm.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Redação do portal Guiacampos.com - Campos do Jordão na Internet