Festival de Inverno de Campos do Jordão – Meio século depois, a reinvenção!

Quando em 1970 o maestro Eleazar de Carvalho idealizou para Campos do Jordão um festival de música erudita inspirado no de Tanglewood, nos Estados Unidos, ele não imaginava que sua ideia fosse se transformar no maior e mais importante evento do gênero na América Latina. Desde os primeiros concertos no Palácio Boa Vista, já são 50 anos de história. E agora, quando completa meio século de existência, o Festival de Inverno de Campos do Jordão entra em uma nova fase.

A edição de 2019 do Festival de Inverno de Campos do Jordão, vai contar com outros ritmos. A abertura será tradicional, com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, dia 29 de junho, no auditório Cláudio Santoro. Mas entre os 150 espetáculos previstos também estão shows musicais com artistas populares. Ainda no dia 29, Mônica Salmaso vai se apresentar na concha acústica da praça de Capivari. Dia 30 Carlinhos Brow vai subir no mesmo palco.

Dia 6 de julho será a vez de Fafá de Belém se apresentar na praça de Capivari. Dia 13, Toquinho vai cantar seus grandes sucessos. Uma semana mais tarde, no dia 20, Lenine será a atração principal na concha acústica. No dia 27 de julho, encerrando a programação popular, o samba vai invadir Campos do Jordão com a apresentação de Diogo Nogueira. Todos os artistas serão acompanhados pela orquestra Jazz Sinfônica.

Apesar da mistura pop, a música erudita ainda domina a programação do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Merecem destaque os pianistas Nelson Freire, que vai se apresentar no auditório Cláudio Santoro dia 11 de julho; o recital de Jean Louis Steuerman, dia 23, na Sala São Paulo; e o dueto de Arnaldo Cohen com o violoncelista Viktor Uzur, também na capital. A parte pedagógica, que é a essência do Festival, está mantida. Durante 30 dias cerca de 200 jovens bolsistas vão estudar com os maiores nomes da música clássica mundial. Durante esse conservatório, também vão formar uma orquestra trazendo no repertório peças de Cláudio Santoro, Schumann e Ripper, entre outros compositores.

Hotel Toriba: de volta às origens

A introdução da Música Popular Brasileira não é a única novidade presente na programação. A edição de número 50 do Festival de Inverno de Campos do Jordão também vai revisitar um dos espaços mais tradicionais da música clássica em Campos do Jordão: o hotel Toriba.

Muito antes dos primeiros acordes surgirem na serra, em 1970, o Toriba já recebia concertos. O piano Steinway fabricado no começo do século passado, e que continua impecável até hoje, é a prova dessa ligação forte do hotel com a música. Tanto que serviu de laboratório para a criação do Festival. “O maestro João Carlos Martins me contou que a reunião que decidiu criar o Festival de Inverno de Campos do Jordão aconteceu nas dependências do hotel”, revelou Aref Farkouh, proprietário do Toriba.

A partir de 2014, as apresentações musicais que eram realizadas todos os sábados ganharam mais espaço. Dois novos pianos foram adquiridos e a música passou a fazer parte da rotina dos hóspedes também às quartas e sextas-feiras. Cantores líricos, solistas e duetos foram convidados a se apresentar no hotel. O movimento cresceu e se transformou no programa Toriba Musical, dirigido pelo pianista Antônio Luiz Barker, que pode ser apreciado, inclusive, por quem não está hospedado no hotel.

Atualmente há um apartamento exclusivo para receber os artistas que figuram entre os melhores do Brasil. Uma vez por mês eles se apresentam gratuitamente no Auditório Cláudio Santoro. Além disso, o Toriba também patrocina o coral Meninas Cantoras de Campos do Jordão, que já gravou dois CDs. Em reconhecimento a essas iniciativas, os organizadores resolveram transformar o Toriba em mais um palco do Festival de Inverno.

Serão 12 concertos, quatro deles gratuitos. Claudio Goldman vai abrir a programação do hotel no dia 6 de julho com dois espetáculos: às 16h30, no museu Felícia Leirner; e às 19h, na sala da Lareira. Veja o calendário.

6 de julho, sábado
Toriba Musical ao pôr do sol – Museu Felícia Leirner, Área Externa, às 16h30
&
Hotel Toriba, Sala da Lareira, às 19 horas
Claudio Goldman – Piano e Voz
“AMOR E HUMOR ATRAVÉS DOS TEMPOS”

7 de julho, domingo
Hotel Toriba, Sala da Lareira, às 19 horas Meninas Cantoras de Campos do Jordão
Mere Oliveira, Direção Musical e Regência
Fábio Fagundes, Piano

8 de julho, segunda-feira
Hotel Toriba, Sala da Lareira, às 19 horas
Eudóxia de Barros – Piano

13 de julho, sábado
Toriba Musical ao pôr do sol – Museu Felícia Leirner, Área Externa, às 16h30
&
Hotel Toriba, Sala da Lareira, às 19 horas
Guiomar Milan – Soprano
Marco Bernardo – Baixo cantante
Antonio Luiz Barker – Piano
RECITAL “LOVE SONGS, ROMANTIC DUETS”

17 de julho, quarta-feira
Hotel Toriba, Sala da Lareira, às 19 horas
Adriana Bernardes – Soprano
Antonio Luiz Barker – Piano

19 de julho, sexta-feira
Hotel Toriba, Sala da Lareira, às 19 horas
Mere Oliveira – Mezzo Soprano
Antonio Luiz Barker – Piano

20 de julho, sábado
Toriba Musical ao pôr do sol – Museu Felícia Leirner, Área Externa, às 16h30
&
Hotel Toriba, Sala da Lareira, às 19 horas
Olga Kopylova – Piano

27 de julho, sábado
Toriba Musical ao pôr do sol – Museu Felícia Leirner, Área Externa, às 16h30
&
Hotel Toriba, Sala da Lareira, às 19 horas
Tiago Paganini – Violino
Roberto Capel – Piano

O interesse de incluir o hotel no Festival de Inverno foi mútuo. Afinal, são 12 espetáculos com custo zero para a Fundação OSESP. “Todos os solistas e cantores se apresentam no Municipal e na Sala São Paulo. Submetemos a programação ao diretor artístico, Fábio Zanon, que constatou a qualidade dos concertos”, disse Aref Farkouh. Para ele, estar no principal evento de música erudita da América Latina comprova o alto nível do programa Toriba Musical.

Além do auditório Cláudio Santoro, que é o palco principal, e do hotel Toriba, também vão receber apresentações a igreja de Santa Teresinha, em Abernéssia, o Palácio Boa vista, a praça de Capivari e a Sala São Paulo, na capital. Este ano, o investimento totalmente pago pela iniciativa privada será de R$ 6 milhões, o dobro do ano passado. Os bolsistas vão continuar hospedados em São Paulo. A mudança para a capital foi anunciada após a crise de 2015 para redução de custos. O governo estadual tem planos de desengavetar o projeto de construir um campus exclusivo na estância, com alojamento e salas de aula adequadas aos jovens músicos.

Agora é só escolher o espetáculo de sua preferência, arrumar as malas e viver mais um Festival de Inverno de Campos do Jordão. Você vai descobrir que Campos do Jordão é uma cidade onde além de ar puro também se respira música, não só no inverno, mas o ano inteiro!

 

This post will expire on Wednesday July 31st, 2019 – 10:18pm.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Jornalista. Um incansável contador de histórias!