Horto Florestal de Campos do Jordão: tão tradicional quanto o próprio frio da cidade

Foto principal: Tadeu Sales

Ainda no caminho, uma amostra do que está por vir. Árvores centenárias típicas da Mata Atlântica fazem companhia na estrada sinuosa que leva até o Parque Estadual de Campos do Jordão, mais conhecido como Horto Florestal. São 12 quilômetros de muito verde desde Capivari, o centro turístico da estância. Mas é a menos de 500 metros da entrada principal que o pulmão verde exibe toda a sua exuberância! Do alto da última ladeira, vales e montanhas forrados de araucárias enchem os olhos do visitante. A parada para fotografias é indispensável antes de começar o passeio, um dos mais belos e tradicionais da cidade.

Floresta de Araucária em Campos do Jordão

Um santuário ecológico!

Ao cruzar a guarita, a imponência da natureza emociona! O Horto Florestal de Campos do Jordão possui 8.341 hectares, área equivalente a 11 mil campos de futebol onde repousa a maior floresta de Araucárias do Estado de São Paulo. O Podocarpus Lambertii, conhecido como Pinho Bravo, também é visto em abundância. Afinal, fauna e flora estão a salvo no Horto de Campos do Jordão, que é considerado Unidade de Conservação de Proteção Integral. Só de plantas existem 863 espécies, sendo 25 ameaçadas de extinção.
Existem 68 variedades de mamíferos, como a onça parda e o veado catingueiro, que protegidos não correm o risco de desaparecer. O macaco-prego e a irara, uma parente próxima do furão, são outros moradores do Parque, que abriga ainda 165 tipos de aves. O papagaio de peito roxo é exclusivo da Mantiqueira e depende da Araucária para sobreviver, mas em Campos do Jordão a permanência da espécie está garantida. Se você tiver sorte pode até cruzar com um deles durante o passeio, principalmente se fizer sua visita entre maio e abril. Já a onça parda vive na mata fechada e dificilmente é vista nas áreas de visitação.

Papagaio do Peito Roxo - Foto Tiago Carneiro
Papagaio do Peito Roxo – Foto Tiago Carneiro

No Horto Florestal, o contato com a natureza também pode ser radical!

A paisagem e o silêncio quebrado apenas pelo cantar dos pássaros são um convite ao relaxamento. Mas há quem prefira contemplar toda essa biodiversidade com uma injeção de adrenalina. Com a proposta de promover o turismo sustentável, o Horto Florestal de Campos do Jordão conta com uma agência interna de ecoturismo. O espaço possui 27 moutain bikes para alugar. A primeira hora custa 35 reais, mas a partir da segunda o preço diminui para 20 reais. O capacete está incluído no valor. Tem também uma pista de arvorismo com oito pontes e uma tirolesa de 60 metros de extensão. O percurso custa 40 reais e dura de 25 a 40 minutos.

A pé ou de bike, sua trilha está no Horto Florestal de Campos do Jordão

Quer pedalar? A trilha da Cachoeira da Galharada é a única opção para quem curte mountain bike. O nome já denuncia que o percurso é repleto de galhos. São 4.600 metros de mata fechada, mas mesmo assim o grau de dificuldade é baixo, tanto que o caminho é o preferido dos visitantes porque também pode ser feito à pé em cerca de 1 hora e 20 minutos.

Para as crianças, a mais indicada é a trilha das quatro pontes, que tem só um quilômetros de extensão. Para os amantes de subidas, a mais indicada é a trilha dos campos de altitude, com três quilômetros de extensão. A do rio Sapucaí, que tem 2.600 metros, também proporciona contato direto com a mata atlântica. Somente a trilha da Cachoeira Celestina exige a presença de um guia. Afinal, são 8 quilômetros e meio de caminhada.

Durante as trilhas podem aparecer alguns dos 98 tipos de répteis existentes no Horto Florestal, principalmente cobras como a urutu e a Jararaca. Mas segundo a monitora ambiental, Aparecida da Silva de Macedo, não há motivo para preocupações. “As pessoas podem ficar tranquilas porque as cobras fogem quando percebem que tem gente por perto e todos são instruídos a respeitar os animais”.

Cansou? Vai de trenzinho! E depois viaje no tempo na exposição histórica do Horto Florestal

Sem dúvida o melhor contato com a natureza é a pé! Mas também é possível conhecer do Horto Florestal de Campos do Jordão de trenzinho turístico. O passeio dura 40 minutos e durante o percurso um monitor conta a história do parque. Uma autêntica aula em movimento! No pequeno museu localizado em frente ao estacionamento, uma exposição fotográfica também volta no tempo. A viagem começa com a criação do Horto Florestal, em 27 de março de 1941, passa pela fauna e flora, dá detalhes da biodiversidade, explica o que é uma Unidade de Conservação e mostra a maquete da antiga serraria de 1928, que hoje é mantida como atrativo cultural.

Dona Chica: o resgate da gastronomia autêntica da Mantiqueira.

Queimar calorias nas trilhas e passeios e consumir informação no museu também abre o apetite! Então, nossa próxima parada é o restaurante Dona Chica. O cardápio é inspirado em cozinhas caseiras, com foco na gastronomia regional. Por isso, produtos típicos da Mantiqueira são ingredientes indispensáveis nas receitas. Tudo fresquinho!

A truta grelhada, por exemplo, é o carro-chefe da casa. Não por acaso é um dos pratos mais vendidos. Custa 92 reais e serve para duas pessoas. Quem gosta de mais proteína pode pedir o leitão caipira, que custa 104 reais. Já para os vegetarianos, a abóbora cambotiá é a opção ideal. Assada com alho e servida com mandioquinha, arroz e feijão, custa 75 reais o casal.

Com a filosofia de reduzir, reutilizar e reciclar, o Dona Chica também usa PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais) nas receitas. O Peixinho de Horta, que para muitos é mato, vira um saboroso aperitivo de entrada servido à milanesa. Tem ainda o Tomate de Árvore, que compõe a salada e também é matéria prima na fabricação da geléia que dá um sabor mais encorpado ao cheesecake na sobremesa.

Agora, a cereja do bolo! O Dona Chica não é só um restaurante, mas um ponto de encontro. O local oferece aos visitantes do Horto redes e espreguiçadeiras para descansar. E o melhor! Gratuitamente. Então, é só chegar e se aconchegar!!

Horto Florestal de Campos do Jordão: um lugar para tirar apenas fotografias!

A natureza exuberante, com espécies da fauna e flora livres da extinção, só chama tanto a atenção porque dentro do Horto Florestal a obra divina é respeitada. Nada pode ser tirado da Unidade de Preservação. Mudas de árvores e plantas nativas da mata atlântica só podem ser compradas no viveiro autorizado, que fica no próprio parque. Não tente arrancar espécies e depois escondê-las da fiscalização. Siga as regras da Fundação Florestal, que administra o Horto, porque assim você garante a preservação da biodiversidade. Grave a paisagem na memória e leve embora apenas fotografias.

O Horto Florestal de Campos do Jordão abre de quinta a terça-feira, das 9h às 17h. O ingresso custa 15 reais. Idosos, portadores de necessidades especiais e crianças até 12 anos não pagam. Jordanenses também estão isentos. Estudantes pagam meia entrada. O acesso a carros é livre. Excursões escolares também entram de graça, mas é preciso fazer o agendamento pelo telefone 12 – 3663-1997

 


 

Em Campos do Jordão

Para comer, comprar e amar:

Sans Souci
Bistrô – 
Café – Confeitaria

Cafés, croissants e doces artesanais, além de comida de bistrô,
em ambiente requintado com toque francês.

Av. Dr. Januário Miraglia, 3260 – Campos do Jordão – SP
Chegue com o Google Maps

Para hospedar-se num pedaço do paraíso:

Hotel Toriba
Estar no Toriba faz bem

Um estado do espírito, uma atmosfera,
uma paixão.

Av. Ernesto Diederichsen, 2962 – Campos do Jordão
Chegue com o Google Maps

 

 

 

 

This post will expire on Friday April 19th, 2019 – 4:51pm.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

Jornalista. Um incansável contador de histórias!

COMMENTS

Comments are closed.