Vai pra Aparecida? Durma bem mais perto do céu, no conforto de Campos do Jordão!

No maior país católico do mundo, Aparecida é a capital da fé. A cidade recebe por ano mais de 11 milhões de visitantes vindos dos quatro cantos do Brasil, e até mesmo do exterior, sempre movidos pela devoção em Nossa Senhora. Em outubro, todos os caminhos parecem levar ao Santuário Nacional. Afinal, dia 12 é dedicado à imagem encontrada no rio Paraíba do Sul, em 1717. Mas o movimento fica intenso o mês inteiro, principalmente durante os finais de semana.

Se a fé move montanhas, que tal subir até elas?

Depois de visitar a basílica, pedir e agradecer graças alcançadas, a dica é pegar a estrada em direção à serra da Mantiqueira e visitar Campos do Jordão, um lugar encantado e que fica bem mais pertinho do céu! A “Suíça brasileira” também tem vocação para o turismo religioso. Existem várias ordens e congregações de predominância cristã que se instalaram na estância no século passado durante o chamado Ciclo da Moléstia.

Igrejas que contam a história de Campos do Jordão

Na metade do século 20, Campos do Jordão foi invadida por pacientes tuberculosos, que tinham no clima da montanha um aliado no tratamento da doença. Para dar apoio a esses pacientes também vieram para a cidade missionários religiosos. Graças a eles surgiram as igrejas que atualmente atraem turistas pela beleza e história. A Matriz de Santa Teresinha, em vila Abernéssia, inclusive, foi erguida em homenagem à religiosa francesa que morreu vítima de tuberculose com apenas 24 anos de idade.

No centro de Capivari fica a Igreja de São Benedito, cujo nome foi escolhido pelo Embaixador José Carlos de Macedo Soares. Homem de grande coração, Macedo Soares doou várias de suas terras para a construção dos sanatórios onde eram internados os tuberculosos. O templo católico foi construído em 1940 com projeto assinado pelos arquitetos Américo Salfati e Mário Buchighani. Como está em um bairro turístico, é uma das igrejas mais visitadas.

Mas foi em Jaguaribe que Campos do Jordao nasceu. A cidade começou a se formar em volta de uma pequena capela, onde hoje fica a Igreja de Nossa Senhora da Saúde. O nome é mais uma lembrança do período em que a cidade era referência terapêutica. A santa foi escolhida por ter sido muito invocada em Portugal durante pestes e surtos. Do lado de fora existem uma escultura da artista plástica Felícia Leirner e um poema de Ranulpho Mendes escrito numa pedra. No interior da igreja, chama a atenção o gigantesco mural pintado no altar por Camargo Freire, em 1951.

Mosteiro de São João – Beneditinas

Em vila Abernéssia, no coração de Campos do Jordão, existe um oásis de paz e tranquilidade. Cercado por um bosque de Araucárias e outras espécies nativas da região, o Mosteiro de São João é parada obrigatória até mesmo para quem não segue nenhuma religião! Nele vivem as conhecidas irmãs Beneditinas, uma das mais antigas ordens religiosas do Ocidente. Quem visita o lugar sente-se em um paraíso na terra! O mosteiro existe desde 1964.
Além das belezas naturais e do silêncio absoluto que permite ouvir com clareza a sinfonia dos pássaros que se intensifica agora na primavera, o Mosteiro de São João também é conhecido pelo seu artesanato. Há uma loja onde as irmãs expõem suas obras para venda. São peças decorativas feitas com flores desidratadas, colagem, pirogravuras, quadros, cartões, terços, entre outros objetos, além também de delícias caseiras como pães, bolos e geleias. Os valores arrecadados com a comercialização são usados para a manutenção do Mosteiro.

Um toque de lazer no roteiro religioso

Você não precisa necessariamente seguir o exemplo das irmãs Beneditinas, que vivem num mosteiro, em oração, para professar a sua fé. Depois de pedir e agradecer bênçãos à nossa senhora, em Aparecida, e conhecer as igrejas e templos de Campos do Jordão, reserve um tempo na sua agenda para passear pela cidade e constatar como Deus foi generoso com este lugar. As florestas de Araucárias e os campos de altitude são obras supremas do divino mestre, como bem diz a letra do hino da cidade.

Já as mãos humanas ergueram prédios com arquitetura no estilo enxaimel típico europeu. Desde o portal de entrada até vila Capivari existem várias construções com vigas de madeira que formam figuras geométricas nas paredes de alvenaria. O telhado inclinado com vários formatos são uma atração à parte, como por exemplo o prédio do Sans Souci Bistrô, que fica às margens da avenida Januário Miraglia, próximo a Jaguaribe. Ao caminhar por este cenário entende-se a razão de a estância ser conhecida como Suíça brasileira. Aliás, a cidade tem o melhor clima do mundo o ano inteiro, segundo o Congresso Internacional de Climatologia, realizado em Paris, em 1957.

Em outubro descubra todas as nuances da primavera. O verde predominante ganha novos tons com flores intensas que desabrocham pelos jardins, praças e até mesmo ruas! A beleza da estação está por toda a parte. Por ser baixa temporada, a contemplação fica ainda mais intimista, uma relação quase que exclusiva entre você e o meio ambiente. É ótimo meditar sentindo o ar puro invadindo os pulmões, oxigenando o cérebro e renovando as energias para seguir em frente!

Aproveite sua viagem a Aparecida e apareça em Campos do Jordão. Apenas 71 quilômetros separam as duas cidades, distância que é percorrida de carro em pouco mais de uma hora. Enquanto nesta época do ano o maior santuário mariano do mundo fica pequeno para tanta gente, aqui a tranquilidade impera! Depois de renovar a fé, a estância climática a 1700 metros acima do nível do mar é o melhor destino para recarregar as energias. O caminho inverso também é opção inteligente. Na viagem a Aparecida, que tal fazer uma escala antes em Campos do Jordão? Com certeza você não vai se arrepender.

 

This post will expire on Tuesday October 15th, 2019 – 5:26pm.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

Jornalista. Um incansável contador de histórias!