A atividade física e as dores musculares

Intensidade e tipo de dor podem diferenciar um exercício dosado de um excessivo

Se você é adepta da prática de atividades físicas como natação, dança, futebol, musculação ou outro exercício realizado com alguma intensidade já deve ter sentido aquelas dores musculares que incomodam e que indicam que a carga pode estar acima da sua capacidade individual. Porém, a prática da atividades físicas é conhecida e, mesmo investindo no corpo, é preciso ter cuidado com os excessos.

Para falar um pouco sobre os oito mitos e verdades mais comuns sobre o tema, o Dr. Bernardino Santi, especialista em ortopedia e traumatologia e médico das Confederações Brasileiras de Boxe, Esgrima e Taekwondo, explica como a intensidade da dor pode revelar a efetividade do exercício:

1 – A dor muscular após exercícios é sempre negativa – MITO

A dor muscular que acontece após o esforço físico é diferente das lesões musculares. A dor leve após a atividade física é comum em muitos casos, mas, se for forte e ocorrer em pequenos esforços, pode significar que há lesões, entorses ou outras complicações sistêmicas.

2 – Sentir dor após o exercício físico pode ser sintoma de outro problema físico – VERDADE

A dor pode significar uma série de quadros, incluindo lesões, como luxações, entorses, tendinite, distensão muscular, rupturas dos tendões ou ligamentos e fraturas. Esses são problemas mais sérios e podem ser consequência de excesso em intensidade ou carga de exercícios. A atividade física requer uma rotina e paciência para atingir resultados.

3 – Outros órgãos ou medicamentos podem ser responsáveis pelas dores – VERDADE

Não se deve nunca descartar problemas em outros órgãos ou sistemas que podem ser causadores dos desconfortos musculares. Alguns medicamentos anticolesterol podem causar estas dores musculares, portanto deve-se sempre avaliar o paciente individualmente.

 4 – Há mais de um tipo de dor que seja possível sentir após atividade física – VERDADE

A dor aguda, que é outro tipo de dor, ocorre durante ou imediatamente após o exercício. Ela reflete sinais de fadiga e representa a consequência da produção de substâncias químicas decorrentes do exercício e que são eliminadas dentro da primeira hora de repouso.

5 – Sentir dor após a musculação é comum e o desenvolvimento muscular só acontece quando isso ocorre após o exercício – MITO

Este é um dos equívocos mais comuns. A dor não é necessária e o músculo pode crescer apenas com tensão e sem danos. A maioria das pessoas pensa que a sensação de dor é necessária para o crescimento muscular, mas é possível ganhar massa muscular sem sofrê-las, sejam elas leves ou intensas.

6 – Deve-se evitar o uso do músculo que está dolorido – MITO

A dor não é necessariamente um aviso para cessar as atividades daquele músculo. Exercícios posteriores aliviam as dores, apesar de agravá-las no início. É um sinal de que o corpo está se acostumando com a atividade. Caso a dor for muito intensa, a situação pode ser diferente.

 7 – As dores musculares podem ser evitadas, mesmo com a prática de exercícios – VERDADE

Quando há regularidade e adquire-se condicionamento físico para treinamentos puxados, as dores tendem a diminuir ou sumir. Fazer alongamentos pode prevenir os atletas esporádicos de eventuais de lesões. Vale lembrar: a dor não é sinal de desenvolvimento da musculatura.

 8 – Apenas o tempo pode curar a dor muscular – MITO

Alguns suplementos alimentares combinados com as vitaminas C e E podem ajudar na ação antioxidante e colaborar para o tratamento da dor assim como outras ações como massagem suave no local, acupuntura, terapia com florais, compressas quentes e frias e shiatsu.

This post will expire on Friday May 1st, 2015 – 3:00pm.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Jornalista diplomada, Assessora de Imprensa e mantem o conteúdo sobre moda, saúde e beleza.