1921 – 2021 Centenário de Frei Orestes Girardi, o homem que mais fez pelas crianças de Campos do Jordão

Uma das principais avenidas de Campos do Jordão recebe o nome de “Frei Orestes Girardi” e um pequeno acervo com seus pertences pessoais está acessível na SEA, cuja visitação deve ser agendada na secretaria da escola.

Frei Orestes Girardi, que completaria 100 anos no dia 6 de setembro de 2021, certamente foi o homem que mais fez pelas crianças de Campos do Jordão. Pessoa de baixa estatura, com deficiência física e saúde frágil, nutria um imenso amor pelas crianças, o que o levou a fundar em 1959 a Sociedade de Educação e Assistência Frei Orestes, a SEA, entidade que já atendeu, e segue atendendo, milhares de crianças promovendo educação e assistência social.

Uma vida dedicada a caridade e religiosidade

Frei Orestes nasceu na cidade Nova Prata – RS aos 6 de setembro de 1921, era filho de Adolpho Girardi e Leonilda Tasso Girardi e foi batizado com o nome de Antonio Fernandes Girardi.

Entrou na Ordem aos 10 setembro de 1936 em Rodeio – SC. Foi admitido ao Noviciado no dia 22 de novembro de 1936 e recebeu o nome de Frei Orestes Girard. No dia 22 de novembro do ano seguinte, emitiu os Votos Simples e no dia 28 de outubro de 1943 celebrou sua Profissão Solene.

Frei Orestes permaneceu treze anos em Rodeio – SC e depois foi transferido para Canoinhas – SC onde residiu por 06 anos.

Para melhor servir à igreja, em 10 de março de 1973, na Paróquia de São Francisco de Assis em São Paulo – SP, recebeu a Ordem do Diaconato.

Sempre servindo a Deus e aos irmãos na Ordem Franciscana, foi testemunho de simplicidade, dedicação e alegria. Frei Orestes recebeu transferência para a Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus em Campos do Jordão no ano de 1955 e inicialmente sua missão era de porteiro do Convento dos Frades Menores e Sacristão. Em Campos do Jordão, Frei Orestes, sensibilizado pela realidade sofrida da infância e juventude, acolheu o apelo de Cristo: “Deixai vir a mim as crianças, pois delas é o Reino de Deus” (Mc 10.14)

Em 1968, com a colaboração de Irmã Maristela Alves Cintra, uma religiosa de grande amor à Vida Consagrada, de profunda sensibilidade, ternura e firmeza, Frei Orestes foi agraciado com a Fundação de uma Congregação Religiosa própria, o Instituto das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora de Fátima.

No dia 26 de maio de 1965, Frei Orestes Girardi e Irmã Maristela Alves Citra apresentaram-se ao Bispo Diocesano de Taubaté – SP, Dom Francisco Borja do Amaral, este os enviou dizendo: “Com a minha bênção vão trabalhar para a Fundação do Instituto. Tudo o que depender de mim, eu o farei”. Surgio assim em 1967 a Pia União das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora de Fátima, tendo recebido aprovação eclesiástica de seus estatutos em 25 de setembro de 1968, concedida por Dom Francisco Borja do Amaral.

Posteriormente, Dom Antônio Afonso de Miranda, Bispo Diocesano de Taubaté – SP, conhecedor dos desafios e esforços de Frei Orestes na condução e consolidação da nova Congregação Religiosa, o apoiou inteiramente e colocando-se como porta voz, intercedeu em Roma, junto à Sagrada Congregação dos Religiosos e Institutos Seculares para que o Instituto das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora de Fátima recebesse a Ereção Canônica como Congregação Religiosa de Direito Diocesano, consolidada em 13 de maio de 1988. Na Celebração Eucarística da Cerimônia da “Ereção Canônica” da Congregação, Frei Orestes, de joelhos perante o altar, elevando os braços, em forma de ação de graças, exclamou: “Agora, Senhor, posso morrer em paz. Eu vi realizar-se o meu sonho”.

Na paróquia de Santa Teresinha, além das várias celebrações como diácono, foi sacristão e e responsável por muitas campanhas, tais como a dos altares e dos 3 sinos da Igreja Matriz.

Ficou uma lacuna até hoje não preenchida

Frei Orestes faleceu no dia cinco de agosto de 1988, deixando orfão Campos do Jordão e a todos um exemplo de fé, esperança. amor e caridade. Foi “um homem iluminado”, dotado de profundo espírito de oração, amor e devoção a Nossa Senhora de Fátima, como que confiando um testamento às Irmãs, suas últimas palavras foram: “Cuidem das crianças”. As Irmãs são as herdeiras mais legítimas de seu carisma e missão, “filhas queridas de seu coração”.

Uma das principais avenidas de Campos do Jordão recebe o nome de “Frei Orestes Girardi” e um pequeno acervo com seus pertences pessoais está acessível na SEA, cuja visitação deve ser agendada na secretaria da escola.

Fonte: Revista comemorativa 90 anos da Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus – Campos do Jordão

Edição Ricardo Gonçalves

This post will expire on Monday November 15th, 2021 – 4:08pm.

Fundador do Guiacampos.com, apaixonado por Campos do Jordão.

Creches de Campos do Jordão retomam atividades

Campos do Jordão tem plantão de vacinação contra Covid-19 neste sábado