Beleza, galera! Preparados para mais uma história irada? Por aqui o Esquilo Luk e vou contar pra vocês a lenda da Água Santa em Campos do Jordão. Bora lá!

Imagina só, há quase 200 anos, tinha um grupo de seis caras saindo das Minas Gerais de boa, montados em seus cavalos, rumo a São Paulo. Aí, depois de atravessarem a fronteira, do alto de uma montanha eles se deparam com um vale sensacional, cheio de luz e beleza. E não é que nesse vale tinha umas fontes d’água cristalina? Elas brotavam das pedras, no meio de uma mata toda preservada. E como se não bastasse, quando esses caras chegaram perto de uma dessas fontes com uma sede daquelas, adivinha? A água começou a borbulhar do nada!

Pensa na cena, a galera ficou chocada! Eles começaram a observar a fonte e o lugar, e sacaram que cada vez que falavam, cantavam ou batiam palmas perto da fonte, a água ficava toda animada, borbulhando pra caramba. Era uma parada muito louca!

A empolgação foi tanta que esses malucos resolveram abandonar a viagem e ficar de vez naquele lugar incrível, desbravando os segredos da fonte milagrosa. Só que tinha um figura ali, um descrente, que não botava muita fé nesses poderes todos. Devia ser o mais corajoso ou o mais jovem do grupo, sei lá. O fato é que o cara quis provar que era brabo e desafiou a fonte sagrada. Pegou seu cavalo e decidiu entrar com tudo, dentro daquela água abençoada. Só que aí, meus amigos, aconteceu o inacreditável! O cavalo dele foi jogado no chão, morrendo de medo.

E é nesse momento que o bagulho ficou doido! A água da fonte começou a ferver, agitando feito um tsunami, e, ao mesmo tempo, a imagem de uma santa apareceu na beirada do barranco. Não tinha como não pirar com essa cena!

A partir daí, aquele camarada que não acreditava em nada se transformou no maior crente de todos. O cara ergueu uma capela ali mesmo, com as próprias mãos. A notícia sobre a fonte e a santa se espalhou por Campos do Jordão, e a região ganhou o nome de Vale da Água Santa. Depois virou Fazenda da Água Santa.

E, acreditem, até hoje, num dia específico do ano, o pessoal da região se reúne nesse lugar irado pra fazer um culto e prestar homenagens à santa que mora na fonte.

Antes de encerrar, quero dar os devidos créditos ao historiador Pedro Paulo Filho, que compartilhou essa história incrível de Campos do Jordão. Se vocês quiserem saber mais detalhes e mergulhar fundo na cultura local, confiram o site camposdojordaocultura.com.br. Vale a pena!

Curtiram? Espero que sim! Até a próxima, galera!