EFCJ continua ignorando população de Campos do Jordão e anuncia investimento com foco no turismo em Pindamonhangaba

A Estrada de Ferro Campos do Jordão, que continua ignorando e não transportando a população local de Campos do Jordão, está modernizando o Parque Reino das Águas Claras, localizado em Pindamonhangaba.

O parque está recebendo obras de modernização em sua infraestrutura e acesso. A ferrovia ainda ampliou a operação do parque e já estuda a implantação no local de atividades de ecoturismo.

A partir de 29 de agosto, o Parque Reino das Águas Claras passa a funcionar também aos finais de semana, operando de segunda a sábado, das 8h30 às 17h. Esta ampliação marca a conclusão de parte das obras de modernização que a EFCJ realizou no local. Destaque para algumas intervenções realizadas no interior do parque, que acontecem nos sanitários, na bilheteria, nas áreas de lazer, na rede elétrica, nas passagens de pedestre, no piso e nas margens do Ribeirão Piracuama, que recentemente foram recuperadas pelas equipes da Fundação Professor Doutor Manoel Pedro Pimental – Funap, por meio de um programa realizado em parceria com a ferrovia.

Já no acesso ao parque, foram construídas, na via permanente, contenções de encostas e canaletas de drenagem, realizada a troca de trilhos e dormentes, melhorada a fixação da via, entre outros. “Este é o tipo de ação que passa despercebido por muita gente, mas que é essencial para o bom funcionamento da ferrovia, para a segurança dos passageiros e para perenidade de nossa infraestrutura”, explica o Diretor Ferroviário da EFCJ, Ayrton Camargo e Silva. Na entrada do parque, o piso também foi recuperado com a colocação de bloquetes e o antigo gradil, que separa o parque da via permanente, foi substituído por um novo.

Outra novidade é a construção de uma parada exclusiva para aqueles que fretam trens da EFCJ com destino ao Reino das Águas Claras, dando mais conforto e segurança aos usuários. Ela foi construída de acordo com os novos modelos de paradas adotados pela ferrovia e já conta com abrigo, banco e acessibilidade. A parada foi batizada como Monteiro Lobato, em homenagem ao escritor responsável pela temática do local, que retrata o mundo literário do Sítio do Picapau Amarelo.

Para o futuro, estuda-se a possibilidade de implantação, por meio de licitação, de atividades de ecoturismo, como parede de escalada, tirolesa, arborismo, entre outros. Além disso, a EFCJ estuda recuperar o antigo lago do Parque Reino das Águas Claras para implantação de pedalinhos, a exemplo do Parque de Capivari, em Campos do Jordão.

Indisponível para banho

Em outubro de 2012, o Parque Reino das Águas Claras foi reaberto para uso de toda a população em uma programação voltada às crianças e realizada em conjunto com a Prefeitura Municipal de Pindamonhangaba, após ficar fechado para restauração das margens do Ribeirão Piracuama, destruídas pelas chuvas e por uma forte tromba d’agua no ano anterior. Quando reaberto, a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental – CETESB, órgão ligado à Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, emitiu um parecer sobre a qualidade da água que corta o parque e foi constatado que elas estão impróprias para banho, na altura do Reino das Águas Claras. Os laudos da CETESB estão disponíveis no próprio parque e na EFCJ

Nota do Editor

A cada momento fica mais claro o objetivo da Estrada de Ferro Campos do Jordão. Mesmo sendo parte da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, o foco parece ser mesmo o lucro do Turismo!

Em Campos do Jordão, há tempos a empresa não transporta mais a população como era num passado não tão distante, agora andar de bondinho é caro e inacessível ao morador da cidade.

Estranho é que quando a EFCJ pertencia a Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo ela atendia a população como transporte urbano. Barato!

A história se repetirá em Pindamonhangaba?  Vamos aguardar para conferir!

This post will expire on Sunday September 13th, 2015 – 11:43pm.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

Fundador do Guiacampos.com, apaixonado por Campos do Jordão.

Leave a Comment