Estar em Campos do Jordão faz bem à saúde! Saiba porque!

Fotos: Junior Warne

A natureza sempre foi o principal patrimônio de Campos do Jordão. Graças a ela, a cidade conquistou o título de melhor clima do mundo. O reconhecimento aconteceu no Congresso Internacional de Climatologia realizado em Paris, em 1957.

Em meio ao verde exuberante, do nascer ao pôr do sol verdadeiras pinturas se formam no horizonte. Mas não são somente as belas paisagens que atraem turistas do Brasil e do mundo. No alto da serra da Mantiqueira, o teor diferenciado de oxigenação e ozônio garante um ar mais puro, livre de poluição.

Mas, quem garante que Campos do Jordão ainda continua com o clima perfeito? O próprio meio ambiente responde! As florestas preservadas que encantam os visitantes são repletas de liquens, um tipo de fungo muito sensível a qualquer alteração ambiental. A espécie, que sofre quando há poluição, existe em abundância na Mantiqueira, fato que garante a qualidade do ar por aqui.

Os benefícios do ar de Campos do Jordão

Quem chega a Campos do Jordão não precisa nem encher o peito para sentir a diferença. Os pulmões parecem agradecer a cada respiração. Afinal, as células necessitam de oxigênio para manter o organismo vivo. E quanto mais puro, maiores os benefícios.

Durante o ciclo da moléstia, que começou no final do século 19, a cidade era referência para o tratamento da tuberculose. Os médicos daquela época consideravam o clima de Campos do Jordão como terapêutico e pacientes de todo o país subiam a serra em busca da cura. Era a chamada Climoterapia, que deu origem a vários sanatórios, como os Sanatorinhos divididos em três prédios: S1, S2 e S3. Neste último funciona atualmente o complexo de saúde da cidade. Esse período foi uma espécie de alicerce para a construção da indústria do turismo na estância.

A ciência já comprovou que a poluição contribui para o surgimento de problemas respiratórios e do coração. Respirar um ar limpo, livre de impurezas, ajuda a prevenir essas doenças. Além disso, os frescor da atmosfera, muito comum durante as manhãs, ajuda a melhorar a circulação sanguínea. E não é só isso! O ar livre de poluentes dá uma força para acalmar os nervos, controlar a ansiedade e reduzir o estresse. Com isso, a pessoa dorme melhor e acorda mais disposta para os compromissos do dia a dia.

A boa oxigenação melhora a qualidade da pele, que fica mais bonita e saudável, e ajuda a eliminar as toxinas do corpo. Sim! O ato de respirar responde pela eliminação de 80% das impurezas do nosso organismo.

Além do ar, a água também é pura na montanha

Assim como o frio, as minas de água pura e cristalina também são marcas registradas de Campos do Jordão. Em vila Abernéssia, a Fonte da Amizade é uma das mais frequentadas. Diariamente turistas e jordanenses matam a sede na tradicional bica, que ganhou ainda mais destaque na região central depois que a fonte do Jardim Márcia secou.

Morador de Campos do Jordão desde a infância, kelton Gonçalves considera a Fonte da Amizade uma amiga mesmo! “Eu me lembro quando era criança e via a água jorrando aqui”. O costume de encher garrafas e galões ele mantém até hoje.

Segundo levantamento feito pelo historiador Edmundo Ferreira da Rocha, existem cerca de 40 fontes em Campos do Jordão, todas potáveis. “Eu não conheço cidades que tenham tantas nascentes como Campos do Jordão. Em cada confluência de morro, que a gente chama de grota, tem água espetacular”! (Grota é o nome dado às cavidades provocadas pela chuva ou ribanceiras de rios).

A análise periódica das fontes eram de responsabilidade do Instituto Adolfo Lutz, mas desde 2019 as amostras passaram a ser coletadas pela Universidade de Taubaté.

Além da Fonte da Amizade, em Abernéssia, existem outras bicas que também chamam a atenção pela beleza de onde brotam suas águas. É o caso da Fonte Simão, considerada medicinal pelos mais antigos. Localizada no caminho da Ducha de Prata, a fonte é cercada de árvores e pinheiros, como Araucárias, por exemplo. Em agosto de 2019 a nascente foi revitalizada, com troca da tubulação e novo paisagismo.

A fonte que virou lenda.

Além das fontes serem atrações turísticas, existem também curiosidades que ajudam a contar um pouco dos mistérios que rodeiam o surgimento da chamada “Suíça brasileira”. Uma delas é a Lenda da Água Santa, lembrada pelo historiador Pedro Paulo Filho, autor do livro “História de Campos do Jordão, falecido em novembro de 2014.

Diz a lenda que seis homens saíram de Minas Gerais a cavalo rumo a São Paulo. Logo depois de atravessarem a divisa de estado, avistaram do alto da montanha um vale com fontes de água cristalina que brotavam das pedras. Ao se aproximarem de uma delas, a água borbulhou.

Assustados, eles notaram que cada vez que falavam ou cantavam, a água respondia borbulhante. Decidiram, então, interromper a viagem e passaram a viver naquele lugar desvendando os mistérios da fonte milagrosa. Mas um deles era descrente e resolveu entrar com cavalo e tudo na água. Mal se aproximou e foi atirado ao chão pelo cavalo.

Segundo a lenda, neste momento a água ferveu e surgiu a imagem de uma santa na ribanceira. O rapaz, até então incrédulo, converteu-se e ergueu com as próprias mãos uma capela naquele lugar. Hoje a região é conhecida como o Vale da Água Santa, onde fica a Minalba, empresa do grupo Edson Queiroz.

Para encerrar essa lenda, mais uma curiosidade: Atualmente a Minalba mantém em frente a fábrica, próximo ao estacionamento, uma grande torneira da qual é possível pegar de graça a mesma água que é engarrafada da fonte da Água Santa, de onde brota a 19,5ºC com PH alcalino e baixíssimo teor de sódio.

Águas do Toriba

Histórias como esta lenda que você acabou de conhecer fazem parte do folclore de Campos do Jordão, uma cidade riquíssima em mananciais. Quis o destino que as nascentes também brotassem em um dos mais tradicionais hotéis da estância.

Água engarrafada para os Hospedes do Hotel Toriba – Campos do Jordão. Foto Léo Avelar

Além dos 60 mil metros quadrados de Jardins, e das inúmeras Araucárias, a área do hotel Toriba possui ainda Fontes de água cristalina. São várias vertentes que jorram na floresta ao redor, dentro da propriedade.

“O Toriba engarrafa a própria água que brota das nascentes da nossa montanha, e a serve para os hóspedes, ao invés de comprar água mineral engarrafada em plásticos”, conta Aref Farkouh, proprietário do Toriba. “São diversas nascentes de alta qualidade que até nossa piscina é abastecida com água mineral local”.

É mais um motivo para subir a serra, conhecer e provar as águas puras e cristalinas da montanha magnífica, e claro, respirar o ar puro a 1700 metros acima do nível do mar, e também das preocupações. Venha e descubra que Campos do Jordão é um paraíso pertinho do céu.

This post will expire on Thursday March 12th, 2020 – 12:08am.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

Jornalista. Um incansável contador de histórias!