Saibam porquê o Bicicross Jordanense é tipo exportação

Durante muitos anos, em especial nos anos noventa, o Bicicross de Campos do Jordão tinha uma Equipe formada por pilotos cadastrados em um clube, em número superior a dezoito, distribuídos em várias categorias de acordo com a faixa etária, os quais participavam de provas regionais, estaduais, nacionais e até mesmo internacionais.

As despesas eram cobertas com as contribuições mensais dos pilotos ou por ocasião de provas, com colaboração adicional de algumas empresas e pessoas físicas e, raramente, com o apoio do Poder Público na liberação de condução.

O tempo passou e já a partir dos últimos anos a falta de um Clube de Bicicross, de um cadastramento geral dos pilotos junto à Secretaria de Esportes, de apoio financeiro para cobertura de despesas com inscrições, hospedagem, condução para locomoção até às cidades sedes de provas, infra estrutura e logística, condições essas que muitas cidades disponibilizam , inclusive, de pessoal de apoio, muitas vezes cedido pela Secretaria de Esportes ou da Educação, constituído por professores de Educação Física que dão apoio em dias de provas ou treinos, fizeram com que inúmeros pilotos optassem em correr por outras cidades.

Feito um levantamento superficial, constatou-se que, praticamente, a maioria dos pilotos jordanenses correram em 2015 por outras cidades, tanto em provas regionais, estaduais, nacionais e internacionais.

Uma triste realidade, que os números atestam, senão vejam: Lorena – João Pedro, Davi Oliveira, Gabriel Oliveira, Marquinho, Denis Borges, Celso Bieski. Americana – Eliandro Li e Rafael dos Santos Oliveira. Jacareií– Marcos Vinícius. Caçapava – Rodolfo Reis. São Paulo – Victor Conde.

Por Campos do Jordão correram os pilotos José Alberto Pereira “Feijão” e Alan Dias.

Estes são os nomes de alguns, que foram possíveis levantar, mas, provavelmente, outros estiveram ou ainda estão correndo por alguma cidade ou até mesmo por Campos do Jordão, pois, a falta de um cadastramento faz com que fiquem no anonimato não só eles como suas conquistas.

Constatou-se também que alguns pilotos, correndo tanto por Campos do Jordão ou por outra cidade, motivados por questões pessoais, familiares, financeira, falta de estímulo ou até mesmo orientação técnica e psicológica, por serem crianças e ou adolescentes, acabaram desanimando e não honrando o compromisso firmado com os respectivos clubes aos quais se filiaram, apesar, de que estiveram ou estão alguns, em excelente posição no ranking.

Alguns optaram por outras atividades esportivas que tem tido mais apoio ou que não necessitam dele.

Enfim, nós fizemos a nossa parte.

A prática dessa modalidade em nossa cidade ficou muito difícil, sem planejamento à altura que o Bicicross Jordanense merecia, sem uma Pista Oficial que há anos Campos do Jordão não tem, apesar de apelos feitos à Prefeitura Municipal e a algumas entidades sociais ou assistenciais, que possuem áreas disponíveis para tal, localizadas próximas ao centro o que viabilizaria com facilidade e segurança a locomoção dos pilotos com suas bikes ,até mesmo com possibilidade delas entidades, terem receita extra para os seus projetos voltados inclusive para as crianças e adolescentes, receita essa oriunda da exploração da Praça de Alimentação, locação de box para os pilotos e dirigentes, de box para comercialização de peças e equipamentos de bikes e prestação dos serviços vinculados ao evento que seria promovido no local, não teve o Bicicross jordanense a mesma sorte que outras cidades tem tido, cidades que visualizam o BMX como um segmento esportivo para a formação moral e física de crianças e jovens praticarem por se tratar de um esporte que congrega a família, além de ser no caso de Campos do Jordão, um esporte que poderia em muito ter contribuído para o Turismo Esportivo.

De uma coisa é certa, correndo tanto por Campos do Jordão como por outras cidades, nossos pilotos tem sido destaque em provas, apesar das dificuldades encontradas, cujo talento esportivo e técnico Campos do Jordão não soube aproveitar, eles tem sido reconhecidos e aplaudidos lá fora.

Na foto se visualiza uma faixa do Bicicross de Campos do Jordão que sempre em provas era fixada em local visivel, no caso dessa no alambrado da Pista de Bicicross de Poços de Caldas, por ocasião da realização de uma prova oficial, na qual aparecem os nomes dos patrocinadores na epoca, Caloi Verde Vital, Minalba, Antartica e Abernéssia Futebol Clube, este patrocinando uma equipe inscrita pelo então  Bike Clube, isso no início dos anos 90.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários