Azeite da Mantiqueira: Epamig quer impulsionar a produção do produto de alta qualidade

No cenário global, o Brasil se destaca não apenas como um país de riquezas naturais exuberantes, mas também como um consumidor ávido de azeite de oliva. Importando uma média impressionante de 100 milhões de litros anualmente, revelando um paladar refinado para o produto. No entanto, a produção interna, está limitada a pouco mais de 500 mil litros por ano.

Diante desse desafio, a Serra da Mantiqueira emerge como protagonista de uma história de otimismo e crescimento. Conhecida por suas paisagens deslumbrantes e excelente clima, essa região que se estende por Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro torna-se o epicentro de um investimento estratégico da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig).

O engenheiro agrônomo Pedro Moura, membro do Programa Estadual de Pesquisa em Olivicultura da Epamig, compartilha a esperança que permeia a comunidade agrícola da Mantiqueira: “Estamos otimistas com uma boa floração e a perspectiva é de que a colheita de azeites em 2024 seja superior ao ano passado, mas ainda não podemos confirmar o quanto será maior.”

“O diferencial do azeite nacional está na sua frescura. Aqui na Mantiqueira, embora a atividade esteja em ascensão, não visamos competir em quantidade com as grandes regiões produtoras. Nosso objetivo é estabelecer espaço pela produção de azeites de alta qualidade e sabores distintos.”

Com desafios impostos pela necessidade de um número mínimo de horas frias, a expansão das áreas de cultivo na região enfrenta limitações. Contudo, a aposta na qualidade e na autenticidade do azeite produzido na Serra da Mantiqueira ganha força. Luiz Fernando de Oliveira destaca: “O diferencial do azeite nacional está na sua frescura. Aqui na Mantiqueira, embora a atividade esteja em ascensão, não visamos competir em quantidade com as grandes regiões produtoras. Nosso objetivo é estabelecer espaço pela produção de azeites de alta qualidade e sabores distintos.”

Leia também: Vinícolas da Mantiqueira são premiadas no Decanter Awards

Esse esforço conjunto visa não apenas atender à demanda interna crescente, mas também posicionar o azeite brasileiro como uma opção única e apreciada em todo o mundo. Com uma expectativa de aumento para 60 mil litros de azeite na Serra da Mantiqueira, a região se torna um polo promissor na produção de um “ouro verde” que carrega consigo o sabor autêntico da Mantiqueira, refletindo o compromisso do Brasil em conquistar paladares exigentes com qualidade e frescor.

 

Ciclovias e duplicações criam novos rumos para a mobilidade em São José dos Campos

Com as mudanças climáticas, Campos do Jordão precisa entrar na rota da prevenção da dengue