Crônica do Pedrinho: É proibido estacionar em Abernéssia

Não é mais possível estacionar em Abernéssia, tantos são os lugares proibidos: vagas para idosos e deficientes físicos, faixas amarelas pintadas no meio-fio, cones instalados aqui e acolá, locais reservados para estacionamento defronte as farmácias, bancos e repartições públicas, vagas para motocicletas, fechamento por causa de obras públicas. Todas essas proibições impedem o condutor de veiculo encontrar uma vaga para estacionar, embora Abernéssia seja tradicionalmente o centro cívico e comercial da cidade. A solução parece ser estacionar o veículo bem distante do centro e regressar a pé ou então pagar a Zona Azul. Foi bom que tivesse melhorado a situação sócio-econômica do povo, pois o veículo deixou de ser privilégio somente das classes abastadas, sobretudo com a facilidade de financiamento em até 90 meses, o que acabou inundando as cidades de veículos. No ano de 2009 foram licenciados em Campos do Jordão 4.038 veículos, em 2010, 4.315 e o corrente ano, somente até o mês de setembro, 3.329 veículos automotores. De duas, uma: ou há carros demais ou estacionamento de menos. Não há outra alternativa. Há uma terceira: andar a pé o que, aliás, faz muito bem para a saúde. Quem está adorando a dificuldade de estacionamento são os postos de gasolina, pois os condutores de veículo ficam meia hora circulando em Abernéssia, em busca de uma vaga e consumindo gasolina. Embora o problema seja somente dos condutores e não dos pedestres, era preciso que o motorista, que também é filho de Deus, encontrasse uma vaga para estacionar. Os beneficiários dessa anomalia são os agentes da Zona Azul que ficam perambulando pelas calçadas em busca da próxima vítima e o Departamento de Trânsito que adora arrecadar multas administrativas. Outro dia, este cronista foi multado por ter estacionado na Avenida Januário Miraglia, 1.402, à 16 horas e 40 minutos. Foi olhar o auto de infração: estacionar em local/horário proibido. Outros veículos estavam estacionados no mesmo local, mas não receberam o auto de infração. Estranho. O veículo não estava estacionado defronte, a banco, farmácia, repartição pública. Não havia faixa amarela pintada no meio-fio e tampouco cones no local, ou seja, não estava em local e horário proibidos. Oras bolas, por que foi multado? A placa de idoso estava bem visível. Será que foi multado porque era idoso? Nesse caso, trata-se de grave preconceito contra os que estão na terceira (ou última) idade.

Publicada originalmente em 2011

 

Falecido em 2014, Dr. Pedro Paulo Filho, ou o Pedrinho como era conhecido, foi sem duvida um dos cidadãos mais respeitados e admirados de Campos do Jordão. Advogado, escritor, acadêmico, foi vereador mais votado de Campos do Jordão proporcionalmente e suas crônicas falam do cotidiano de Campos do Jordão e seus personagens.

Campos do Jordão é o segundo destino mais buscado por viajantes do Sudeste, diz pesquisa da Booking.com

Creches de Campos do Jordão retomam atividades