Proibido para turistas! Assunto de jordanense.

Tudo começou com a gentil distribuição de drágeas de chocolate recheadas com leite condensado, feita por uma chocolateira da cidade. O que era uma abordagem super agradável e de bom gosto, foi transformado por pessoas sem compromisso com o bom turismo numa pratica infernal para quem passeia pelo centro turístico de Campos do Jordão, a Vila Capivari.

Pós drágeas, vieram as “hostess”, que na verdade não cumprem a verdadeira função que é receber clientes e direcionar a mesa, mas sim atuam como promoters, que abordam o visitante e tentam induzi-lo a entrar no estabelecimento. Um, dois, três… e quase todos restaurantes do centrinho adotaram a estratégia que logo se espalhou para outros setores.

Hoje se destacam os incômodos promotores de vendas de cotas imobiliárias.

Durante meia hora entre o estacionamento e a Praça São Benedito, passando pela Rua Macedo Soares e pelo Boulevard Pedro Augusto Padovan (calçadão), nossa reportagem foi abordada nada menos do que 8 vezes, sendo usado para isso vários adjetivos, substantivos e até pronomes de tratamento sem nenhum sentido! Olá “doutor”! Já ganhou seu fondue?, “Boa tarde General! Recebeu seu brinde?”, “Oi Casal! Querem almoçar conosco?” e por ai vai, sendo cômico se não fosse trágico para o turismo de bom gosto e qualidade. Nenhum turista de bom gosto acha positiva essa experiência de abordagens.

Reagi com palavras e fomos “perseguidos”.

Pouco a pouco o incômodo começou a se tornar um problema: “Boa tarde! Sou frequentador de Campos do Jordão há cerca de 50 anos, tendo inclusive um apartamento aqui. Sempre adorei essa cidade, mas confesso que estou perdendo a vontade de vir, por causa das inúmeras abordagens inconvenientes que eu e minha família estamos sofrendo com frequência em Capivari. Hoje, fomos insultados por um desses meliantes simplesmente por não responder à abordagem. Reagi com palavras e fomos “perseguidos” por outra meliante que não parava de nos ofender.” relata um visitante habitué da cidade, que continua “Procurei por policiais, mas infelizmente não encontrei nenhum! Lamentável essa cidade estar se transformando nisso! Quando alguém tomará alguma atitude?”

Há legislação, mas o que diz o poder público?

Em reunião realizada no dia 6 de abril na Secretaria de Turismo de Campos do Jordão, em que estiveram presentes empresários, representantes da Câmara Municipal, do Prefeito e Secretários da Administração Municipal, ficou acordado que o Poder Executivo realizaria ações intensivas de fiscalização no Calçadão de Vila Capivari, visando coibir, aprender, notificar e multar, quem realizasse distribuição de panfletos ou qualquer outro tipo de material impresso, bem como a abordagem exercida, seja por funcionários de restaurantes, meios de hospedagem, loja e passeios turísticos no local.

“Secretaria de Turismo não é um órgão fiscalizador e também não é quem regulamenta está questão” diz Secretário.

Questionado, o Secretário de Turismo de Campos do Jordão, André Barbêdo, declarou em um grupo de representantes do trade turístico da cidade que “Secretaria de Turismo não é um órgão fiscalizador e também não é quem regulamenta essa questão ao fazer isto terá certamente problemas de ordem jurídica. Entretanto dentro do que compete a SETUR fazemos tudo que é possível, encaminhamos as reclamações para quem cabe a competência, abordamos quando possível mas com objetivo informativo pelos motivos já elencado, solicitamos por meio de documentos oficiais as devidas providência etc.”

O secretário informou ainda que existe um departamento de Fiscalização, e que há necessidade de contratação de mais fiscais de posturas, pois o quadro esta defasado e hoje são apenas dois fiscais para essa função.

“Existe uma parceria com diversos restaurantes da cidades que podem ser visualizados no verso do material gráfico que eles [promoters de timeshare] tem a mão, acho estranho os empresários (uma parcela) ajudar a promover isto. Jogando contra o próprio negócio e seu entorno. Obviamente isto não tira a responsabilidade do poder Público, mas sem estas parceiras inviabilizaria a abordagem.” completa o secretário

“Só reunião com os empresários envolvidos, pedindo pra terem bom senso, isso não leva a lugar nenhum…” declarou a presidente do COMTUR

Membro do mesmo grupo, Gloria Alvares, Presidente do Conselho Municipal de Turismo, declarou que o Conselho é terminantemente contra essas práticas “fizemos um ofício à Prefeitura pedindo medidas sobre isso. Sinceramente, sem fiscais pra fazer valer a lei, não acredito que chegaremos a uma solução.” e conclui: “Só reunião com os empresários envolvidos, pedindo pra terem bom senso, isso não leva a lugar nenhum… só a aplicação de multa e bloqueio de licença, me parece que dará resultado”.

 

 

This post will expire on Friday October 27th, 2023 – 7:14pm.

Mais de 800 pessoas lotaram Auditório Cláudio Santoro para apresentação de Maria Gadu

Governador do Estado de São Paulo Tarcísio de Freitas é diagnosticado com covid 19