Vinícola da Mantiqueira aposta no ESG para turbinar vinhos

Boas práticas socioambientais têm se provado a chave para produzir vinhos com mais qualidade. Na Serra da Mantiqueira, a vinícola Ferreira quase zerou o uso de defensivos agrícolas!

Para além do clima, do terroir e da safra, velhos conhecidos por influenciarem diretamente a qualidade dos vinhos, as práticas socioambientais adotadas pelas vinícolas têm se provado outra chave na produção de rótulos melhores.

Conquistando cada vez mais espaço nos parreirais, a agenda ESG (Environment, Social & Governance) ajuda a diminuir os impactos ambientais da produção do vinho e também eleva a qualidade da bebida a outro nível, o que agrada mais o paladar do consumidor e de quebra colabora com a saúde do planeta.

No cenário brasileiro, as vinícolas têm sido mais cobradas em relação às práticas ambientais positivas. Na Serra da Mantiqueira, a Vinícola Ferreira, considerada uma das melhores produtoras do sudeste, conquistou 26 medalhas em prêmios internacionais após adotar o que chama de “luta racional”, um conjunto de medidas ESG que visa reduzir ao máximo o uso de produtos químicos nas videiras e o impacto socioambiental gerado na produção.

Comandada por um empresário paulista do setor da tecnologia, desde 2016, a vinícola começou a atuar em diversas frentes para produzir rótulos mais sustentáveis. Dos 100 hectares da propriedade, apenas 20 são explorados. Os demais 80 hectares são mantidos em preservação permanente pela vinícola. Além disso, toda a água utilizada para irrigação dos vinhedos é armazenada no período de chuvas em um reservatório construído exclusivamente para este fim. “A Mantiqueira é uma verdadeira joia brasileira, e os visitantes da vinícola Ferreira, além de apreciarem o vinho de altíssima qualidade, também usufruem de uma experiência de imersão na floresta abundante e preservada de mata atlântica”, diz a engenheira ambiental da vinícola, Cibele Ramos.

Para não sobrecarregar o solo, a vinícola também plantou pés de frutas como mirtilo, amora e framboesa perto dos parreirais. O cultivo é controlado pelo MIP (manejo integrado de pragas) e há monitoramento constante do clima para utilizar defensivos agrícolas apenas em situações de real necessidade. “Quando é realmente necessário, utilizamos produtos com baixo risco ao meio ambiente, como produtos biológicos e a base de cobre e enxofre, amplamente difundidos na agricultura orgânica. Com isso, a qualidade dos vinhos melhorou muito”, comemora o fundador da vinícola Dormovil Ferreira.

Fundador da vinícola Dormovil Ferreira

A vinícola Ferreira é uma das únicas da região da Serra da Mantiqueira que cobre os seus parreirais com lonas de plástico impermeável. O cultivo protegido na cultura da videira é uma alternativa na diminuição da incidência de doenças fúngicas em regiões que apresentam excesso de chuvas como a Serra da Mantiqueira, reduzindo assim a necessidade de fungicidas. Dessa forma, a vinícola utiliza muito menos agrotóxicos do que as produtoras vizinhas da região.

A qualidade dos vinhos é influenciada por uma combinação de fatores que vão desde as características das uvas cultivadas até os processos de vinificação utilizados. A decisão de reduzir o uso de químicos, como fungicidas e herbicidas, pode afetar o processo de várias maneiras.

A aplicação excessiva de produtos químicos leva a um acúmulo de resíduos, podendo afetar negativamente o sabor e o aroma do vinho, pois os compostos químicos indesejados podem ser transferidos para o mosto durante o processo de vinificação. A redução dos produtos químicos pode permitir que os sabores e aromas naturais das uvas se expressem com mais clareza, resultando em vinhos mais complexos, equilibrados e autênticos, que refletem melhor as características das uvas e do terroir.

Segundo a vinícola Ferreira, os cuidados com o meio-ambiente foram fundamentais para que a marca conseguisse vencer alguns dos concursos de vinhos mais importantes do mundo. Nesse ano, a Ferreira conquistou pela primeira vez a medalha de ouro no Decanter World Wine Awards de Londres, concurso que é considerado uma espécie de “Oscar” dos vinhos. O rótulo premiado foi vinho tinto seco Piquant Soléil safra 2022, produzido com 100% de uvas Syrah, que levou 95 pontos na rigorosa avaliação dos jurados do Decanter.

Turbinando seus rótulos com práticas ESG, nos últimos quatro anos, a vinícola Ferreira já produziu mais de 40 mil garrafas e recebeu 26 medalhas de Ouro, Prata e Bronze no Decanter World Wine Awards de Londres, no Paris Wine Cup de Paris, e no Sommeliers Choices Awards de San Francisco.

Vídeo: Papa Francisco envia bênçãos especiais no dia de Nossa Senhora Aparecida

Previsão de chuva adia Feira de Empreendedorismo Sustentável do Parque da Lagoinha