Bibliotecas de Campos do Jordão – A casa azul de Dona Maria do Carmo

A maior necessidade de Dona Maria do Carmo é a de voluntários

A rua começa movimentada no centro comercial de Abernéssia e segue em direção à Vila Fracalanza. Nos primeiros quarteirões, os jardins das casas nos abraçam. Como outras tantas de Campos do Jordão, ela segue em frente, sem retas, acompanhando o relevo e as encostas da cidade. E lentamente fica cada vez mais estreita, como se deixasse de ser uma rua e se transformasse num destino. As curvas vão se sucedendo, uma após a outra. O ruído que ouvimos deixa de ser mecânico e passa a ser quase que exclusivamente humano. Finalmente, após mais uma estreita e mansa volta, lá está ela – a casa azul, que todos no bairro conhecem.

A casa azul de Dona Maria do Carmo é a mais conhecida da rua
A casa azul de Dona Maria do Carmo é a mais conhecida da rua

De dentro da garagem, olhos claros e luminosos nos observam e sob eles surge um sorriso. É Dona Maria do Carmo, que abre as portas e o caminho junto a mesas com livros e papéis. As estantes estão repletas de jogos e brinquedos. Numa porta azul, a palavra-chave: Biblioteca.

Sentamos para conversar. Dona Maria do Carmo conta com serenidade e atenção que durante muitos anos trabalhou como enfermeira. E que ao se aposentar, em 1996, sua visão em relação à rua onde mora, mudou. Antes era apenas um caminho para ir e vir. Ficando mais horas em casa ela passou a ver a rua como um local de estar. “Comecei a olhar para as crianças, que passavam o dia inteiro sem ter o que fazer”, relata. Lentamente essa realidade foi ganhando força, batendo cada vez mais forte em sua porta interior. Até que, no final de 2006, ela decidiu agir: organizou uma festa de Natal para as pessoas do bairro. Logo depois decidiu abrir a garagem de sua casa para todos, com atividades de costura e de leitura.

Os adultos não se interessaram. Mas as crianças estavam atentas, com os olhos bem abertos. E assim, há nove anos, surgiu o Espaço de Convivência BRUMACRIS, palavra formada pelos nomes de BRUno, seu marido, MAria do Carmo e CRIStiano, seu filho. De coração aberto, sem recursos ou estrutura, com boa vontade passou a oferecer às crianças o que há de mais valioso e hoje de mais moderno no mundo das bibliotecas: a capacidade de acolher, atender, conviver e integrar.

Lista de presença: vidas em construção
Lista de presença: vidas em construção

Devido a uma nova situação de vida, o tempo de Dona Maria do Carmo se tornou cada vez mais escasso. O que não impediu esta mulher dedicada de continuar a abrir as portas para as crianças, tendo de limitar o funcionamento de sua biblioteca comunitária para apenas as segundas-feiras. “Abro a partir das 17 horas, que é o horário em que muitas crianças voltam da escola. Nesse dia, tiro o carro da garagem e arrumo o espaço com as mesas”, explica.

Além de emprestar livros, Dona Maria do Carmo ajuda as crianças a melhorar a leitura e a escrita
Além de emprestar livros, Dona Maria do Carmo ajuda as crianças a melhorar a leitura e a escrita

Mesmo aberto a pessoas de qualquer idade, os frequentadores atuais têm entre 4 e 16 anos. “Eu ajudo a criança a ler e até a fazer a lição porque várias chegam despreparadas, sem saber ler ou escrever corretamente”, comenta. A presença das crianças fica registrada em um caderno onde elas mesmas anotam seus nomes. Algumas leem no local, outras levam livros para ler em casa. A biblioteca tem hoje cerca de 3.000 títulos de diferentes áreas e gêneros. Dona Maria do Carmo conta também que, com ajuda de pessoas e entidades, levou as crianças em passeios pela cidade. “Fomos ao Horto e ao Auditório”, comenta.

Mas ao ser questionada sobre o que mais necessita hoje, Dona Maria do Carmo é rápida e precisa: “Voluntários!” E repete: “Voluntários! Não consigo mais organizar e dar conta de tudo sozinha”.

Os mapas que cobrem uma das paredes do Espaço são uma verdadeira aula de reflexão: como poderia ser o mundo se houvesse mais pessoas assim?

Será que você pode ajudar? Ou conhece alguém que talvez possa? Lembre-se que o Espaço abre por poucas horas apenas uma vez por semana. Visite o local. E deixe o entusiasmo tomar naturalmente conta de você.

A maior necessidade de Dona Maria do Carmo é a de voluntários
A maior necessidade de Dona Maria do Carmo é a de voluntários

Centro de Convivência BRUMACRIS & Biblioteca
Rua Arnaldo Borges de Paula, 140 (antiga Rua São José) – Google Maps
Vila Fracalanza – Campos do Jordão
Horário: Segundas-feiras, das 17 às 19:30 horas

Leia também: Bibliotecas de Campos do Jordão – Instituto Federal: portas abertas para o saber

Carlos abreu é do grupo ABCJ – Amigos da Biblioteca de Campos do Jordão, é membro efetivo da Academia de Letras de Campos do Jordão e vice-presidente da AMECampos
Carlos Abreu é do grupo ABCJ – Amigos da Biblioteca de Campos do Jordão, é membro efetivo da Academia de Letras de Campos do Jordão e vice-presidente da AMECampos

This post will expire on Thursday October 8th, 2015 – 6:59pm.

Piloto de BMX Rodolfo Reis - Campos do Jordão

Bicicross vai representar Campos do Jordão nos Jogos Abertos do Interior em São Bernardo do Campo

Carmina Burana em Campos do Jordão

Campos do Jordão terá apresentação de Carmina Burana com entrada franca