Violência na tragédia: Governo do RS toma providências diante de atos de violência em meio à tragédia

Moradores voluntários e autoridades do Rio Grande do Sul relatam uma série de incidentes criminosos que estão exacerbando o cenário já devastador de uma das maiores tragédias já vistas no estado. Segundo depoimentos, criminosos estão dificultando os esforços de resgate, realizando saques em comércios e de doações, roubando barcos e até mesmo agredindo voluntários.

Diante dessa situação, o governador do estado, Eduardo Leite, anunciou que tomará medidas para garantir a segurança da população afetada. Ele solicitou ao Ministério da Justiça o envio de mais homens da Força Nacional e acionou os governadores dos estados vizinhos para o envio de policiais.

Em resposta ao pedido do governador, o Ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, autorizou o envio de mais 100 agentes da Força Nacional, elevando o contingente no estado para 220. Além disso, uma medida emergencial será a contratação temporária de policiais da reserva. O governador também anunciou o chamamento de 1000 policiais para reforçar a segurança nas ruas, bem como em abrigos e outros locais com necessidade de reforço.

Em entrevista à TV Brasil, o superintendente da Polícia Federal, Audrey Rodrigues, informou que a maioria dos ataques criminosos foi registrada até o momento na região metropolitana de Porto Alegre. Ele revelou que grupos táticos de Santa Catarina e do Paraná serão deslocados para a capital gaúcha, em colaboração com as forças policiais locais, incluindo a Brigada Militar, para reforçar o patrulhamento das cidades afetadas.

 

Embraer divulga imagens do protótipo do ‘Carro Voador’: Primeiras imagens dos eVTOLs fabricados em Taubaté

Evento do ITA transforma São José dos Campos na capital da Engenharia do Futuro