Relatório de ONG internacional destaca áreas costeiras no Brasil que podem vir a ser alagadas

A NASA tem emitido alertas sobre o aumento do nível global do mar, destacando um aumento significativo entre 1993 e 2023, com uma média anual de 0,3 centímetros, que subiu para 0,42 centímetros nos últimos dez anos. Estudos indicam que, se continuarmos emitindo gases de efeito estufa ao ritmo atual, levando a um aquecimento global de 3°C, cerca de 50 grandes cidades ao redor do mundo poderão ser inundadas até o ano de 2100.

Impacto no Brasil

O Brasil está entre os países que enfrentarão sérias consequências. Áreas costeiras das regiões Sul, Sudeste, Norte e Nordeste estão sob alerta. As regiões mais vulneráveis incluem:

Rio Grande do Sul: Já enfrenta enchentes que deixam milhares de desabrigados.

Pará: A ilha de Marajó e partes de Belém e Bragança podem ficar submersas.

Maranhão: A costa de São Luís e as ilhas de Santana e Carrapatal estão sob ameaça, assim como o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

Amapá: A Reserva Biológica do Lago Piratuba, a Ilha de Maracá, Oiapoque e áreas de Macapá podem ser encobertas pelo mar.

Rio de Janeiro: A Ilha do Governador, Duque de Caxias, Campos dos Goytacazes e Cabo Frio estão em risco.

A pesquisa da Climate Central revela que a poluição do ar e o derretimento das geleiras da Groenlândia e da Antártica são os principais impulsionadores do aumento do nível do mar. Com um aumento de 3°C na temperatura global, a linha de maré alta pode avançar sobre áreas onde vive aproximadamente 10% da população mundial atual, o que corresponde a mais de 800 milhões de pessoas.

Nível Global do Mar

China, Índia, Vietnã e Indonésia: Estes países estão em maior risco de lidar com o aumento do nível do mar a longo prazo.

Ilhas Vulneráveis: Ilhas como Cocos, Maldivas, Ilhas Cayman e Bahamas podem ter mais de 90% de suas populações vivendo abaixo do nível do mar.

Necessidade de Ação Urgente

Mesmo com uma redução drástica das emissões de carbono, limitando o aquecimento a 1,5°C conforme o Acordo Climático de Paris, ainda se espera um aumento médio global do nível do mar de 2,9 metros ao longo de vários séculos. Isso ressalta a urgência de medidas para mitigar as mudanças climáticas e seus impactos inevitáveis.

As previsões são alarmantes e requerem ação imediata para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e implementar estratégias de adaptação para proteger comunidades costeiras em todo o mundo. O Brasil, com suas vastas áreas costeiras, deve se preparar para enfrentar desafios significativos nos próximos anos, adotando políticas de sustentabilidade e infraestrutura resiliente para minimizar os impactos do aumento do nível do mar.

 

 

Renomado cientista brasileiro é eleito ‘Guardião Planetário’

“Após a chuva, vem o frio!”: ‘Digital influencers’ e comunicadores de Campos do Jordão se unem em prol das vítimas no RS!